Doutoranda da FEA tem artigo premiado no ENANPAD 2021

O artigo originado da pesquisa da tese de doutorado de Camilla do Nascimento Soueneta Nganga, defendida em 2019 na FEAUSP, escrito em co-autoria com Sandra Maria Cerqueira da Silva e com JPR Lima, foi duplamente premiado no EnAnpad 2021: recebeu os prêmios Instituto República e o melhor artigo da Divisão de Contabilidade. Trata-se do artigo “Há tanta vida lá fora!” – Work-life conflict, mulheres e pós-graduação em contabilidade.

Camilla do Nascimento Soueneta Nganga é professora da Faculdade de Ciências Contábeis da Universidade Federal de Uberlândia, além de membro do Núcleo FEAUSP de Pesquisa em Gênero, Raça e Sexualidade (GENERAS) e coordenadora de pesquisa do Núcleo de Estudos Afro-Brasileiros da Universidade Federal de Uberlândia (NEAB/UFU).

Segundo a professora Silvia Casa Nova, do departamento de Contabilidade e Atuária da FEAUSP e uma das fundadoras do GENERAS, essa premiação é muito representativa e simbóllica, e dá voz a muitas pessoas. “É um artigo que reflete sobre as experiências de mulheres e engendra a possibilidade de pensarmos uma nova pós-graduação. Muito orgulho da linda e potente trajetória da professora Camilla do Nascimento Soueneta Nganga e da parceria que cresce e se consolida para pensarmos a diversidade”, comentou a docente.

Promovido pela Anpad (Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração), o EnAnpad é um espaço de interlocução entre pares e, nesse sentido, privilegia e estimula o debate aprofundado e a interação entre os participantes. Esse debate é importante uma vez que todo texto publicado em anais de evento científico é um texto provisório – working paper – mesmo que decorrente de pesquisa concluída. A partir dos debates e das críticas recebidas durante o evento, o autor pode aperfeiçoar seu trabalho e submetê-lo a um periódico, dando sequência ao processo de divulgação científica.

Aulas Magnas FEA 75 anos – “Nova Era em Construção”

A FEAUSP comemora seus 75 anos com ciclo de conferências sobre a “Nova Era em Construção”.
Para celebrar a data, a FEA programou para a semana de 4 a 8 de outubro uma série de “aulas magnas”, tendo como convidados figuras notórias do cenário político, científico e acadêmico.

Programação

04/10 – 11h15

Conferencista Fernando Henrique Cardoso – “A política na Nova Era em construção”

Acesse aqui a transmissão.

05/10 – 17h45

Conferencista Patricia Ellen da Silva – “O desenvolvimento na construção da Nova Era”

Acesse aqui a transmissão.

06/10 – 17h45

Conferencista Sergio Gusmão – “O sistema financeiro na construção de uma Nova Era”

Acesse aqui a transmissão.

07/10 – 11h15

Conferencista Carlos Henrique de Brito Cruz – “A ciência na construção de uma Nova Era”

Acesse aqui a transmissão.

07/10 – 17h45

Coordenação de Fabiana Martins do Rego – “75 anos de CAVC: uma reflexão sobre o futuro da educação”

Acesse aqui a transmissão.

08/10 – 17h45

Conferencista Tabata Amaral – “As novas lideranças e a construção da Nova Era”

Acesse aqui a transmissão.

Mais informações no site da FEA: http://fea.usp.br/fea/noticias/feausp-comemora-seus-75-anos-com-ciclo-de-conferencias-sobre-nova-era-em-construcao

Siga nossas redes sociais!

Estamos trabalhando para juntos atendermos às recomendações que visam à redução da transmissão do coronavírus, a minimização dos impactos locais da pandemia e no intuito de continuarmos cumprindo nossa função social.

Prazo de empréstimo: atualização

Prezados usuários,

Esperamos que esta mensagem os(as) encontrem bem!

Comunicamos que os empréstimos, renovados de forma automática até a data de 4 de outubro de 2021,  pela Agência USP de Gestão da Informação Acadêmica – AGUIA, poderão ser renovados pelos usuários via web, utilizando o Aplicativo Móvel da AGUIABanco DEDALUS ou Portal de Busca Integrada da USP, de forma ilimitada, até 03/01/2022, desde que o material não esteja atrasado ou reservado para outro usuário.

Siga nossas redes sociais!

Estamos trabalhando para juntos atendermos às recomendações que visam à redução da transmissão do coronavírus, a minimização dos impactos locais da pandemia e no intuito de continuarmos cumprindo nossa função social.

Revista Contabilidade e Finanças: Edição 87 no ar!

Revista Contabilidade & Finanças chega à Edição 87, referente ao período de setembro a dezembro de 2021. Destacamos na sua composição o Editorial, um ensaio e onze artigos teórico-empíricos dentro das diferentes linhas de pesquisa que compõem o escopo da Revista.

Clique aqui para ver o sumário.

Nicholas McGuigan escreveu o Editorial sob o título Formação contábil à prova de futuro: um educar para a complexidade, ambiguidade e incerteza. O professor da Monash University, na Austrália, trouxe reflexões sobre o ensino de contabilidade a partir da teoria construtivista, propondo questionamentos para o futuro da educação na área.

Clique aqui para ler o editorial.

Tratamento contábil das operações em conjunto no Brasil à luz das normas contábeis vigentes é o ensaio desenvolvido por Raquel Wille Sarquis e Ariovaldo dos Santos. Os pesquisadores analisaram o tratamento contábil utilizado pelas empresas no Brasil que possuam investimentos em operações em conjunto, à luz das normas brasileiras e internacionais de contabilidade, identificando que as demonstrações contábeis das empresas no Brasil com operações em conjunto, constituídas por meio de entidade veículo, não estão em conformidade com as normas internacionais.

Clique aqui para ler o ensaio.

Caroline da Silva, Crisiane Teixeira da Silva, Daniel Magalhães Mucci e Franciele Beck são os autores do artigo intitulado Explorando interdependência entre gainsharing e avaliação de desempenho em uma cooperativa de crédito. Na discussão deste artigo, os autores investigaram a interdependência entre o gainsharing e a avaliação de desempenho (objetiva e subjetiva) em uma cooperativa de crédito. A pesquisa promove insights sobre o funcionamento das práticas de controle gerencial, bem como sobre a avaliação objetiva e subjetiva de desempenho.

Clique aqui para ler o artigo.

Impacto da troca de auditoria na comparabilidade dos relatórios financeiros é o título do artigo de autoria de Allison Manoel de Sousa, Alex Mussoi Ribeiro e Ernesto Fernando Rodrigues Vicente. Os autores analisaram o efeito do rodízio e tenure das firmas e sócios de auditoria na comparabilidade e consistência dos relatórios financeiros. A amostra contou com 50 companhias que foram analisadas em períodos anuais entre 2012 e 2018, e os resultados indicaram que a troca (obrigatória e voluntária) da firma de auditoria e do sócio de auditoria não prejudicam a comparabilidade e a consistência dos relatórios financeiros.

Clique aqui para ler o artigo.

Anne Carolina dos Santos, Kelli Juliane Favato e Marguit Neumann desenvolveram a pesquisa do artigo Relato integrado e gestão de stakeholders: agenda de pesquisas. Os autores discutiram o relato integrado, tendo sido mapeados 11 fatores, construídas 10 proposições qualitativas e 35 insights para estudos futuros. Os resultados indicam que a gestão de stakeholders pode ter alcançado seu potencial de forma cerimonial, mas carece de definições.

Clique aqui para ler o artigo.

O relatório de auditoria está mais legível? Esse é o tema tratado por Vagner Antônio Marques, Lanna Pereira Nogueira, Idamo Favalessa de Aquino e Viviane da Costa Freitag por meio do artigo denominado Ele ficou mais legível? Evidências empíricas dos principais assuntos no relatório de auditoria independente, cuja amostra é composta por 240 empresas listadas na B3 S.A. – Brasil, Bolsa, Balcão (B3), no período de 2013 a 2018.

Clique aqui para ler o artigo.

Presença estatal no mercado de crédito: bancos públicos e crédito direcionado na crise de 2008 é o título do artigo em que os autores documentaram a relação entre os dois mecanismos de atuação estatal (direcionamento do crédito e controle societário de bancos) e a concessão de crédito bancário no Brasil durante a crise financeira global de 2008. Os autores do artigo, Lucas A. B. de C. Barros, Catarina Karen dos Santos Silva e Raquel de Freitas Oliveira, utilizaram uma amostra composta por dados do período de 2005 a 2012 de instituições financeiras que captam depósitos do público.

Clique aqui para ler o artigo.

No artigo intitulado Quais os fatores determinantes nas decisões de estrutura de capital das pequenas e médias empresas em Cabinda, Angola?, João Lussuamo e Zélia Serrasqueiro analisaram os fatores determinantes que explicam as decisões da estrutura de capital das pequenas e médias empresas (PMEs) na província de Cabinda, Angola. Os resultados evidenciaram que a tangibilidade, a idade, a liquidez e os benefícios fiscais extradívidas são fatores determinantes nas decisões da estrutura de capital das PMEs nessa província.

Clique aqui para ler o artigo.

Gabriel Augusto de Carvalho, Hudson Fernandes Amaral, Juliano Lima Pinheiro e Laíse Ferraz Correia são os autores do artigo intitulado Precificação de anomalias através de modelos fatoriais: um teste em mercados da América Latina. Os pesquisadores tiveram como desafio testar o modelo de cinco fatores nos mercados emergentes da América Latina. A principal contribuição deste artigo reside no melhor conhecimento sobre os fatores relevantes para a precificação de ativos em mercados emergentes.

Clique aqui para ler o artigo.

Com o objetivo de testar empiricamente as decisões de estrutura de capital em empresas familiares portuguesas sob a teoria do trade-off (trade-off theory – TOT) e a teoria do pecking order (pecking order theory – POT), Luciana J. Pestana, Luís Pereira Gomes e Cristina Lopes desenvolveram a pesquisa intitulada Testando a estrutura de capital de empresas familiares portuguesas. Os autores analisaram dados de 4.952 empresas familiares portuguesas no período de 2009 a 2016.

Clique aqui para ler o artigo.

Sentimento do investidor, incerteza econômica e política monetária no Brasil é o título do artigo em que os autores analisaram como a incerteza econômica e a política monetária afetam o sentimento do investidor no Brasil. Os autores do artigo, Paulo Fernando Marschner e Paulo Sergio Ceretta, usaram dados mensais de quatro mecanismos de transmissão da incerteza econômica e da política monetária (taxa de juros, taxa de câmbio, taxa de inflação e índice de incerteza econômica) e do índice de confiança do consumidor como proxy para o sentimento do investidor (no período de janeiro de 2006 a março de 2020).

Clique aqui para ler o artigo.

O artigo denominado Desonestidade acadêmica nos programas de pós-graduação stricto sensu em ciências contábeis foi escrito por Regina Cardoso Fróes e Denise Mendes da Silva. As autoras analisaram a desonestidade acadêmica na perspectiva de discentes, docentes e instituições de ensino, considerando situações hipotéticas classificadas em cinco categorias de desonestidade: fraude/cola, auxílio a outros estudantes, plágio, fabricação de informações, autoplágio/similaridades.

Clique aqui para ler o artigo.

Igor Ferreira do Nascimento e Pedro H. M. Albuquerque são os autores do artigo intitulado Alíquota justa e de equilíbrio para benefícios não programados em planos de contribuição definida. Os pesquisadores tiveram como desafio propor uma metodologia que, utilizando múltiplos decrementos, além de desagregada por perfil atuarial e fonte de custo previdenciário, calcula alíquotas atuarialmente justas e de equilíbrio para benefícios não programados de custeio coletivo oriundos de planos de previdência da modalidade Contribuição Definida (CD).

Clique aqui para ler o artigo.

Votos de uma leitura produtiva e inspiradora.

Fábio Frezatti

Editor-Chefe

Revista Contabilidade & Finanças

Estudo revela mudança no perfil dos ingressantes da FEA-USP

Andres Rodriguez Veloso comenta que, dentre os 509 alunos ingressantes entrevistados, quase 20% estão na soma das classes C, D e E e 24% se autodeclaram pretos, pardos ou indígenas

*conteúdo retirado do Jornal da USP, publicado em 13/08/2021.

Há uma mudança muito grande no perfil dos ingressantes na FEA, principalmente com relação a questões socioeconômicas e de cor/raça –  Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da USP – Foto: FEA-USP

Um estudo da DataFEA confirma a mudança do perfil dos alunos ingressantes em 2021 na Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (FEA) da USP, quatro anos após a introdução de cotas sociais para ingresso. Andres Rodriguez Veloso, professor do Departamento de Administração e presidente da Comissão de Graduação da FEA-USP, coordenou o estudo e comenta ao Jornal da USP no Ar 1° Edição sobre as mudanças nos perfis dos ingressantes da faculdade. O DataFEA foi idealizado por Andres Rodriguez Veloso e pela professora Tatiana Albanez. “É uma iniciativa que surgiu no contexto da Comissão de Graduação da FEA-USP para acompanhar o ingresso dos alunos e as mudanças de perfis deles”, comenta.

De acordo com Veloso, há uma mudança muito grande no perfil dos ingressantes na FEA, principalmente com relação a questões socioeconômicas e de cor/raça, que alteram as necessidades de permanência e acolhimento desse público na Universidade. “A FEA tem um universo de 590 ingressantes e a gente conseguiu 509 respostas, o que fica bem próximo do número total”, explica. Dentre os dados recolhidos, Veloso diz que 70% do quadro discente são homens e 30%, mulheres. “Outro dado interessante captado durante o período de ingresso foi a faculdade ter mais de 50 alunos menores de idade, o que nos traz a reflexão de que mais jovens estão ingressando na faculdade”, complementa.

Em relação à situação socioecônomica, a pesquisa utilizou o método Critério Brasil, desenvolvido pelo vice-diretor da FEA, José Afonso Mazzon. “É um questionário que indica qual é a classe social do respondente”, explica. Ele ainda ressalta que os resultados obtidos através do questionário ainda indicam uma preponderância da classe A, mas que a distribuição entre as outras se equilibra e se aproxima do cenário socioeconômico de São Paulo. “Somadas as classes C, D e E, a gente tem quase 20% dos alunos com esse perfil. Já a classe B apresenta uma maioria discente de quase 50% dos ingressantes, enquanto os perfis inseridos na classe A juntam os 34% restantes”, ressalta. Para Veloso, a representatividade da classe A na FEA ainda é muito desproporcional em relação à realidade de São Paulo, que está perto de 8% da população.

Acompanhado dos dados da situação socioeconômica dos alunos, também há o de ingressantes por cotas raciais. “A gente também teve uma entrada de 24% de alunos autodeclarados pretos, pardos ou indígenas”, ressalta. Veloso ainda reforça a importância do apoio da Universidade para esses alunos mais vulneráveis. “A partir da compreensão desses dados do DataFEA, a gente iniciou várias campanhas dentro da unidade para incentivar os professores a solicitarem bolsas PEG e PUB para dar apoio a esse alunos”, ressalta. Ainda inserido no isolamento social provocado pela pandemia, o estudo também se preocupou em mapear as necessidades tecnológicas desses ingressantes e contou com apoio da Pró-Reitoria de Graduação na distribuição de kits internet para que esses alunos da FEA começassem o curso on-line.

Confira o estudo completo aqui.

Congresso de Graduação da USP será on-line, entre os dias 19 e 21 de agosto

Em sua sexta edição, o evento é um fórum dedicado ao compartilhamento de experiências no ensino de graduação

O 6º Congresso de Graduação da USP será realizado entre os dias 19 e 21 de agosto, no formato virtual. Promovido pela Pró-Reitoria de Graduação, o congresso é uma oportunidade para docentes, dirigentes, pesquisadores e estudantes discutirem a inovação no ensino de graduação e compartilharem as iniciativas criativas e as boas experiências adquiridas a partir de março de 2020.

Pró-reitor de Graduação, Edmund Chada Baracat – Foto: Cecília Bastos / USP Imagens

Com o tema A USP e o desafio da reinvenção, o congresso aborda as profundas transformações que ocorreram no contexto da pandemia da covid-19 e a necessidade de manter a qualidade da formação dos estudantes de graduação.

“A pandemia mostrou a importância do aprimoramento pedagógico de nossos docentes, não só para atender ao ensino não presencial, mas para toda uma reflexão sobre os objetivos do ensino, formação atitudinal e ética, planejamento, metodologias, recursos e infraestrutura, avaliação e concepções curriculares, que certamente trarão reflexos positivos na retomada do ensino presencial. De igual modo, os estudantes tiveram que organizar novas rotinas de estudo e buscar formas de visualizar as aulas e materiais disponibilizados no ambiente virtual. Ou seja, a USP se reinventou”, afirmou o pró-reitor de Graduação, Edmund Chada Baracat.

Além de serem discutidas na programação do congresso, as boas iniciativas no ensino de graduação também estarão representadas na sessão de pôsteres. Nesta edição, além dos temas tradicionais, os pôsteres abordarão os temas: Ensino de graduação no contexto da pandemia da covid-19; Programa Aprender na Comunidade; e os Consórcios Acadêmicos para a Excelência do Ensino de Graduação – CAEG.

Foto: Marcos Santos / USP Imagens

“Tivemos a submissão de mais de 630 pôsteres, que já estão em fase de avaliação pelo comitê científico. A versão on-line deste congresso permitirá uma elevada participação de congressistas, com uma audiência diversa e representativa de todos os campi, independentemente de distâncias. A USP é quem sediará o evento, para todos seus docentes e seus dirigentes. Será um momento ímpar para congregar experiências sobre temas voltados ao desenvolvimento e ao aprendizado de nossos estudantes para estes novos tempos”, explica a pró-reitora adjunta, Maria Vitória Badra Bentley.

As inscrições são gratuitas e podem ser feitas até o dia 13 de agosto, na página do Congresso.

Congresso de Graduação

Idealizado como um espaço para permitir a integração de docentes e o compartilhamento de práticas de ensino e experiências pedagógicas para valorizar e modernizar o ensino, o Congresso de Graduação aconteceu pela primeira vez entre os dias 25 e 27 de maio de 2015, no Centro de Convenções Rebouças, e reuniu mais de mil participantes. Desde então, o congresso passou a ser realizado anualmente e se consolidou como um grande fórum de discussão que atrai cada vez mais participantes.

“Neste congresso, além da troca de experiências, a Pró-Reitoria de Graduação apresentará as ações desenvolvidas em prol da readequação curricular, da relação com a sociedade, do acolhimento e sustentabilidade estudantil, entre outras iniciativas. O vice-reitor Antonio Carlos Hernandes também apresentará o resultado exitoso da política de inclusão social em nossa Universidade”, revelou Baracat.

A sexta edição do evento estava originalmente programada para acontecer em 2020, mas foi adiada por causa da pandemia da covid-19.

Festa Virtual do Livro da 2020

A Festa do Livro da USP tem reunido milhares de pessoas, todos os anos, em torno do prazer pela leitura. É um momento de busca, de descoberta, de reencontro – e também de aproveitar os descontos incríveis que marcam o evento desde a sua criação em 1999.

Em 2020, a Festa precisa ser diferente: sem aglomeração, sem o calor de dentro das tendas, sem as chuvas de verão, sem o peso das sacolas cheias de livros…

Uma festa virtual e, ainda assim, uma festa!

A Festa Virtual do Livro da USP acontecerá a partir deste site, de forma ininterrupta, do dia 9/11/20 (segunda), às 9h, até o dia 15/11/20 (domingo), às 23h59. Como sempre, a participação do público é gratuita e o desconto mínimo é de 50% sobre o preço de capa.

Como vai funcionar? Tornamos o formato o mais simples possível, permitindo que todas as editoras participassem sem qualquer custo. Aqui no site, cada editora terá uma página para se apresentar, exibir a relação dos títulos com desconto e direcionar os visitantes para suas respectivas lojas virtuais. Todas as etapas seguintes, necessárias para a compra, acontecerão na loja da editora, que definirá as próprias condições comerciais, como forma de pagamento, tipo e o valor do frete, prazo de entrega etc.

Para maiores informações, acessem: https://paineira.usp.br/festadolivro/

Participe também do evento no Facebook e compartilhe usando as hashtags
#festadolivrodausp e #festavirtualdolivro
https://paineira.usp.br/festadolivro/

Novo artigo do professor da FEA/USP, no Jornal da USP

Confira o novo artigo do professor da FEA/USP, Marcelo Caldeira Pedroso, publicado no Jornal da USP.

Leia na íntergra em : https://jornal.usp.br/artigos/a-inovacao-como-pedra-angular-para-a-retomada-da-economia-2/

Abertura da Exposição Virtual: VOCÊ E A USP: A UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO, SEMPRE PRESENTE EM SUA VIDA

Convite

Gostaríamos de convidá-los para o evento de abertura da exposição virtual VOCÊ E A USP: A UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO, SEMPRE PRESENTE EM SUA VIDA.

Data:15 de julho às 16h
Local da Exposição: voceeausp.usp.br

O evento de abertura da exposição será transmitido no canal USP no Youtube: https://www.youtube.com/watch?v=HI10lzCxbn0

Imperdível!

Similaridade de textos: qual é o percentual aceitável?

O uso do programa Turnitin está cada vez maior quando o assunto é verificação de originalidade e prevenção de plágio. Para saber mais sobre o que é aceitável e o que evitar para que o seu trabalho científico não seja considerado um cópia de terceiros, leia, na íntegra, a matéria em:

https://www.aguia.usp.br/noticias/similaridade-de-textos-qual-e-o-percentual-aceitavel/?doing_wp_cron=1594133974.7235949039459228515625

duplicate-768x319