Base de dados LexisNexis

workshop-lexisnexis
Workshop LexisNexis

No dia 29/11/ 2016, a Biblioteca FEA, juntamente com o Sistema Integrado de Bibliotecas da USP (SIBiUSP), organizou um Workshop sobre a base de dados LexisNexis® Academic. A base, até então desconhecida do público da FEA, foi apresentada por Thiago Barbosa da empresa LexisNexis.

A base foi criada em 1976 e possuía, inicialmente,  apenas conteúdo jurídico não brasileiro (Estados Unidos, Canadá, Europa Ocidental, África do Sul, Austrália e Oriente Médio). Porém, na medida que foi crescendo, sua abrangência foi aumentando e, atualmente, sua área de cobertura contempla conteúdos de administração, economia e contábeis (além das áreas de direito, relações internacionais, comércio exterior, ciências biológicas, propriedade intelectual, patentes, jornalismo e interesse geral).

logo-lexisnexis-peqA base é multidisciplinar, tem abrangência micro e macro e nas áreas da FEA, apresenta, entre outros, o seguinte conteúdo:

  • Dados financeiros detalhados sobre empresas públicas ou privadas;
  • Dados e bibliografias de CEOs e outras personalidades da área de negócios;
  • Registros e dados cadastrais de empresas e industrias;
  • Mapeamento de mercado;
  • Análise e relatórios setoriais;
  • Notícias e relatórios de análises políticas e econômicas dos países e de dados financeiros.

A maior parte desse conteúdo, entretanto, não corresponde a artigos no formato tradicional, mas sim, fontes coletadas via robô em materiais de acesso aberto disponíveis na internet e fontes de notícias reconhecidas e dados financeiros de fornecedores como a Reuters, Euromonitor, The Economist, O Estado de S. Paulo e muitos outros.

tela-lexisnexis
Tela inicial da base LexisNexis

Para acessar a base entre em “Bases de Dados A-Z” no site do SIBiUSP. Abrirá uma lista, em ordem alfabética, clique em LexisNexis.

O acesso pode ser feito pelos computadores presentes no piso superior da Biblioteca FEA ou por meio dos equipamentos pessoais, através do serviço de VPN.

Acompanhe sempre a programação de treinamentos da Biblioteca FEA pelo e-mail USP e pelos canais de comunicação da FEA e da Biblioteca (“A Semana na FEAUSP”, Facebook e Twitter), pois semestralmente, oferecemos treinamentos sobre bases de dados. O Workshop da LexisNexis já está na programação de 2017.

FEAUSP – 70 anos de excelência

logo_fea_70_anos_corNascida em 26 de janeiro de 1946, a FEAUSP comemora 70 anos de existência e para celebrá-los foi elaborado um calendário com várias atividades e eventos desenvolvidos no decorrer de 2016, buscando fortalecer sua identidade, estabelecer perspectivas para o futuro e mostrar sua integração com o desenvolvimento do país. Foi criado, ainda, um site comemorativo contendo importantes depoimentos, fotografias e dados históricos.

Durante esses 70 anos de história passaram pela FEA 753 Professores que dividiram seus conhecimentos com 18.167 alunos de graduação e 3.424 de pós-graduação, tendo sido conferidos 2.067 títulos de mestre e 1.176 de doutores. No campo da cooperação internacional, a FEA recebeu 1974 intercambistas estrangeiros e enviou 1915 ao exterior. Todos, à sua maneira, contribuíram para essa trajetória de sucesso como centro de excelência e ensino.

Conheça mais sobre toda essa história visitando o site comemorativo e consultado as obras sobre o assunto disponíveis em nosso acervo.

Referências:

CANABRAVA, Alice Piffer (Org.). História da Faculdade de Economia e Administração da Universidade de São Paulo: 1946-1981. São Paulo: FEA, 1984. 2 v.
Localização FEA: 378.8161 C224h v.1 e 378.8161 C224h v.2

FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE. FEA 60 anos: 1946-2006. São Paulo, 2006. DVD.
Localização FEA: DVD 188
Folder comemorativo dos 60 anos da FEA que acompanha o DVD.

PINHO, Diva Benevides. FEA-USP: 50 anos. Informações FIPE, São Paulo, n. 190, p. 25-27, jul. 1996.
Localização FEA: P339.42 I43f

PINHO, Diva Benevides. A FEA-USP no tempo: contribuição à memória de seus 60 anos. São Paulo: ESETec, 2006. 63 p.
Localização FEA: 378.0098161 P654f

RIBEIRO, Suzana Lopes Salgado (Org.). Contando história: o Departamento de Contabilidade e Atuária – FEA/USP entre números e palavras. São Paulo: D’Escrever, 2009. 168 p. Acompanha CD-ROM.
Localização FEA: 657.09 C759

Este slideshow necessita de JavaScript.

Edmar Bacha – um economista na Academia Brasileira de Letras

age20161103143zNo último dia 03, a Acadêmica Brasileira de Letras elegeu o ocupante de sua cadeira de número 40, transformando em imortal o escritor e economista Edmar Lisboa Bacha.

Formado em Ciências Econômicas pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e Ph.D em Economia na Universidade de Yale (EUA), lecionou economia em diversas universidades no Brasil e no exterior.

Participou da equipe econômica que instituiu o  Plano Real durante o governo Itamar Franco e foi presidente do BNDES – Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social no governo de Fernando Henrique Cardoso.

Ainda no setor público, foi pesquisador do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e presidente do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

No setor privado, atuou como consultor sênior do Banco Itaú BBA e presidente da Associação Nacional dos Bancos de Investimentos. Hoje, Bacha dirige o Instituto de Estudos de Política Econômica/Casa das Garças, um centro de pesquisas e debates que fundou no Rio de Janeiro.

O novo integrante da ABL é autor de inúmeros livros e artigos em revistas acadêmicas brasileiras e internacionais. Sua última obra é Belíndia 2.0: Fábulas e Ensaios sobre o País dos Contrastes, lançada em 2013 pela Editora Civilização Brasileira

Conheça um pouco da obra de Edmar Lisboa Bacha disponível no acervo da Biblioteca da FEA.

 

Como obter o ORCID?

Orcid_01O ORCID (Open Researcher and Contributor ID) é um identificador digital único e permanente para o autor, formado por 16 dígitos numéricos. Exemplo: 0000-0002-7135-9104.

Ele tem a finalidade de diferenciar um nome de autor de qualquer outro, ainda que exista homônimo ou que tenha sido publicado, citado e/ou indexado de formas variadas.

Normalmente, o padrão de apresentação do nome  difere nas bases de dados. Por exemplo, em algumas bases, cadastra-se o sobrenome com os prenomes sem ponto (Grossman, SJ), em outras utiliza-se o sobrenome com os prenomes por extenso (Grossman, Sanford Jay) e isso pode ser um problema para a recuperação de informações de autoria e acadêmicas. Por meio do ORCID é possível padronizar e recuperar o nome de um autor (nome individual ou da instituição) independentemente das variações encontradas. Ele está para o autor assim como o DOI está para um documento digital.

A solicitação do ORCID é gratuita somente para os autores, para a padronização do nome de uma instituição o serviço é pago. A USP, até o momento, não possui seu ORCID iD.

Siga o passo a passo para saber como obter seu ORCID (download do arquivo):

Espera-se que, com o ORCID sendo adotado pelas diversas bases de dados e ferramentas acadêmicas, o problema de ambiguidade dos nomes de autor seja amenizado ou até mesmo solucionado.

Referências:

BIBLIOTECA CENTRAL UFRGS. ORCID:  identificador digital que conecta as pesquisas aos seus autores: tutorial. Disponível em: <https://www.ufrgs.br/blogdabc/tutorial-orcid/>. Acesso em: 12 set 2016.

ORCID: conectando pesquisas e pesquisadores. Disponível em: <http://orcid.org/>. Acesso em: 12 set. 2012.

SILVA, Eduardo Graziosi. ORCID integrado ao Currículo Lattes. In: ______. Mundo Bibliotecário. Disponível em: <https://mundobibliotecario.com.br/2016/08/12/orcid-integrado-ao-curriculo-lattes/>. Acesso em: 12 set. 2016.

SOARES, Suely de Brito Clemente. ORCID: passo a passo para obter o seu! In: ______. Content Mind. Disponível em: <http://www.contentmind.com.br/orcid/>. Acesso em: 12 set. 2016.

 

O que é o DOI?

DOI – Digital Object Identifier – é a sigla em inglês para Identificador Digital de Objetos. Ele é um código padrão único e exclusivo (composto de números e letras) que possibilita a criação de um link permanente de um documento digital publicado (como uma espécie de CPF do documento).

Uma vez atribuído um DOI, não se pode removê-lo ou alterá-lo. Ele possibilita que um documento digital seja encontrado, mesmo se a URL do periódico ou do site em que estiver seja alterado ou pare de funcionar. É utilizado, principalmente na área acadêmica, para identificação persistente e recuperação mais rápida e precisa dos artigos, trabalhos de eventos e outros documentos digitais (textos, áudios, vídeos, imagens, softwares).

As versões em pdf, html e impressas de um mesmo artigo compartilham um código DOI único.

O DOI é composto de duas partes:

DOI - composição
Fonte: Galoá

Primeira parte (prefixo): o número antes da barra contém o código de diretório que sempre é o 10 e o código de registro (atribuído por uma Agência de Registro – lista de Agências) que identifica a instituição responsável pelo depósito DOI.

Segunda parte (sufixo): é um identificador único do documento em si, definido pelo solicitante.

Como obter o DOI?

O DOI é pago e a instituição (universidade, editora etc.) deverá entrar em contato com uma Agência de Registro de código DOI. Cada Agência é diferente e livre para oferecer seu próprio modelo de negócio (lista de Agências).

Por exemplo, a CrossRef é a principal Agência de Registro da  International DOI Foundation (IDF), instituição responsável pela criação do DOI. Para obter um código DOI é preciso associar-se ao CrossRef e selecionar uma das nove categorias de assinatura baseadas na movimentação financeira da instituição relativa à publicação. Com isso receberá um prefixo DOI. Além da anuidade, haverá uma taxa para cada item depositado. Os valores estão disponíveis em Publisher Fees no site da CrossRef.

No Brasil temos o Galoá como primeira empresa brasileira credenciada como Sponsoring Entity do CrossRef. É possível solicitar um orçamento de DOI pelo site, eles ficam responsáveis por toda burocracia e pagamentos internacionais.

Como pesquisar um documento por meio do código DOI? 

Para recuperar um documento através do DOI existem dois caminhos:

1) Pelo site do DOI no campo “Resolve a DOI Name” e pelos buscadores oferecidos por algumas Agências de Registro. Exemplo: na agência CrossRef digita-se o código DOI no box “Metadata Search

DOI - search01_circle
Site DOI
DOI - search02_circle
Site CrossRef

2) Pelos motores de busca da internet (Google e outros)

DOI-search03_circle

Para mais informações sobre o DOI acesse o “Guia do usuário do DOI” do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (Ibict).

Doi

Fontes:

BRITO, R. F. de et al. Guia do usuário do Digital Object Identifier. Brasília: Ibict, 2016. Disponível em <http://labcoat.ibict.br/portal/wp-content/uploads/2015/03/Guia-do-usu%C3%A1rio-do-DOI-online3.pdf>. Acesso em: 09 ago. 2016.

BÜRGER, M. C.; CAREGNATO, S. CrossRef / DOI  nas revistas científicas. Porto Alegre: UFRGS, 2009. Disponível em: <http://www.ufrgs.br/propesq1/sobrelinks/arquivos/DOI.pdf>. Acesso em: 09 ago. 2016.

CROSSREF. Oxford, UK, 2015. Principal agência de registro da IDF. Disponível em: <http://www.crossref.org/>. Acesso em: 09 ago. 2016.

GALOÁ. Doi. Suporte on-line para diversas necessidades da área científica. Disponível em: <https://galoa.com.br/deposito-doi-crossref/o-que-doi-significado-conseguir-prefixo-doi#page-section-internal-doi-prefix>. Acesso em: 09 ago. 2016

INTERNATIONAL DOI FOUNDATION. DOI. Site oficial da instituição criadora do Digital Object Identifier. Disponível em: <http://www.doi.org/index.html>. Acesso em: 09 ago. 2016.

Tutoriais dos treinamentos oferecidos pela Biblioteca FEA – bases de dados, ABNT e APA

A Biblioteca oferece diversos treinamentos aos usuários FEA sempre que necessário,  alguns deles, inclusive, são realizados todos os anos, tais como das normas APA e ABNT.

Como os tutoriais das apresentações desses treinamentos  trazem conteúdos novos e/ou modificações,  procuramos divulgá-los para mantermos as informações disponíveis no Blog sempre atualizadas.

Compartilhamos os  tutoriais dos treinamentos já oferecidos em 2016 :

  • Recursos informacionais para pesquisa (2016)download
  • Apresentação e normalização de trabalhos acadêmicos – ABNT NBR 14724-2011 (2016)download
  • Estrutura e normalização de trabalhos acadêmicos – APA 6ª edição (2016)download

 

Conheça nosso acervo: Prof. Pedro Sabino de Farias Neto

Acabam de ser incorporadas, em  nosso acervo,  duas obras do autor Pedro Sabino de Farias Neto, Pós-Doutor em Políticas e Estratégias, Doutor em Engenharia de Produção, Mestre em Administração, Engenheiro Civil e Economista pela Universidade de São Paulo. Atualmente, é Professor Titular da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), onde coordena o Grupo de Pesquisa em Desenvolvimento Institucional, além de palestrante e consultor.

As obras, de conteúdos transdisciplinares, consistem em guias referenciais completos de todos os arranjos institucionais que assomam marcantes e apropriados à ordenação do mercado financeiro e da política econômica, bem como do sistema político, assuntos especialmente relevantes no atual contexto do Brasil.

Essas obras sobrelevadas são destinadas aos públicos acadêmicos e profissionais interessados no mercado financeiro e na política econômica, bem como na ciência política, na filosofia política e no sistema político.

Clique na capa dos livros para acessar as localizações no acervo FEA e sinopses completas das obras.