Doutora da FEA vence prêmio Tese Destaque USP

giuliana_isabellaNossa aluna Giuliana Isabella, doutora em Administração, venceu o prêmio Tese Destaque USP de 2016 na categoria ciências sociais com o trabalho “Hedonic and utilitarian purchases and construal level theory in the perception of justice and price fairness: behavioral and physiological perspectivesorientado pelo Professor José Afonso Mazzon.

Com a intenção de investigar como as mudanças de preços afetam a percepção de justiça do consumidor, a doutora inovou na metodologia da pesquisa introduzindo um conjunto  de medidas originarias da neurociência para a coleta de dados da percepção de preço.

A neurociência aplicada ao marketing é um campo de conhecimento estudado há apenas 10 anos e considerado ainda embrionário. Isso levou Giuliana a cursar disciplinas na Faculdade de Psicologia e no Instituto de Biomédicas na própria USP e também a procurar apoio de um laboratório de pesquisa especializado no exterior. (Center of Neural Decision Making).

Com a ajuda desse laboratório pode estudar as  emoções dos participantes por meio de dados neurofisiológicos como os batimentos cardíacos, a reação das glândulas sudoríparas (resposta galvaniza da pele) e as expressões faciais através eletromiografia.

Perguntamos à Giuliana como os recursos disponíveis em nossa biblioteca a ajudaram na realização desse trabalho e ela nos contou que fez muitas consultas via Virtual Private Network (VPN) ao banco de dados de pesquisa da USP e que muitas vezes utilizou nossas dependências para trabalhar, pois gosta muito da iluminação (janelas, visual tranquilo, local calmo).

Quanto aos livros,  relatou ter utilizado mais os de biomédicas e de psicologia, considerando muito legal esta interação que existe entre as bibliotecas da USP.

O trabalho que servirá de base para futuros estudos na área de neurofisiologia aplicada ao marketing, recebeu também menção honrosa da CAPES e pode ser acessado pelo link.

Artigos resultantes da tese:

Culture differences, difficulties, and challenges of the neurophysiological methods in marketing research – Journal of International Consumer Marketing 2015*

Impacts of product type and representantion type on the perception of justice and price fairness – Journal of Business Research 2017**

Entrevistas e reportagens resultantes da tese: 

Jornal da USP

Núcleo de Divulgação Científica da USP

Site da FEAUSP

*A Biblioteca FEA possui a cópia digital do artigo
**Acesso via VPN ou pelos computadores da USP

Lançamento do livro: “Gestão industrial e a produção sustentável” de Lilian Aligleri, Luiz Antonio Aligleri e Isak Kruglianskas

img-20161206-wa00041
A Biblioteca da FEA foi o local escolhido  para o lançamento do livro do Professor Isak Kruglianskas, ontem, às 17h30min,  durante o  XVIII ENGEMA – Encontro Internacional sobre Gestão Empresarial e Meio Ambiente, evento que terminará nesta terça-feira.

img-20161206-wa00031

O livro, que tem a coautoria dos Professores  Lilian Mara Aligleri e Luiz Antonio Aligleri da  Universidade Estadual de Londrina – UEL,  trata da gestão da produção em ambiente de manufatura sustentável e mostra como as questões socioambientais estão intrinsecamente relacionadas às decisões estratégicas, processos e operações-chave. Assim, a proposta é examinar as atividades e fases do sistema produtivo para identificar as inter-relações e integrações entre sustentabilidade e produção, em consonância com a economia verde.

capturar

A obra estará disponível no acervo assim que terminar o trabalho de catalogação da Seção de Processamento Técnico.

 

 

Autor-doador

Para manter o acervo da Biblioteca da FEA, considerado como um dos mais completos em sua área de conhecimento, temos uma preocupação constante com a atualização dos títulos disponíveis referentes aos cursos aqui oferecidos. Além das aquisições eletivas ou sugeridas por nossos usuários, contamos com o apoio das doações feitas diretamente pelos autores das obras. Como apreciamos muito essa iniciativa, que enriquece nossa coleção e corresponde às nossas necessidades de modernização,  resolvemos reunir os itens doados e divulgar suas respectivas dedicatórias.

Veja a lista de títulos com dedicatórias doados por seus autores à Biblioteca FEAUSP ou acesse pelo Pinterest da Biblioteca.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Lançamento do Livro “A desgovernança mundial da sustentabilidade” – Profº Drº José Eli da Veiga

capa livro ze eliA legitimação da sustentabilidade como um novo valor é um processo que está, em muitos aspectos, apenas engatinhando – no entanto, ele já possui uma história de mais de quatro décadas. Traçar um roteiro preciso dessa história, indicando seus avanços e recuos, bem como as armadilhas que têm impedido a construção de uma governança global do desenvolvimento sustentável, é uma das tarefas a que se propõe este livro.
Em A desgovernança mundial da sustentabilidade, José Eli da Veiga, professor titular aposentado da FEAUSP e autor de diversos livros sobre o tema, ilumina o complexo tabuleiro da política internacional no tocante à temerária atitude global em relação às bases naturais das quais depende o seu desenvolvimento. Mobilizando um vasto número de dados e informações, o autor cruza diversas fronteiras disciplinares, detendo-se no exame das Relações Internacionais e na análise de suas principais correntes teóricas.
Sem se deixar levar por extremos, esta obra denuncia os obstáculos na busca de processos que articulem em escala planetária prosperidade e conservação ecossistêmica, mas não se alinha com o discurso dos apocalípticos, arautos das catástrofes. O resultado é um livro lúcido, instigante e informativo, que se dirige tanto ao leigo como ao leitor iniciado na matéria.

CONVITE PARA O LANÇAMENTO:

texto

Discussões Metodológicas – Departamento de Contabilidade

O programa “Discussões Metodológicas” foi idealizado pelo Observatório USP de Educação e Pesquisa Contábil para ser um fórum dedicado à apresentação e discussão das primeiras ideias de propostas de pesquisa em andamento, anteprojetos de dissertações, teses e artigos de todas as áreas do conhecimento.

foto1Em atividade desde 2008 o programa prevê uma média de 10 reuniões anuais, com a apresentação de três trabalhos em cada uma delas.

As exposições têm uma duração de 50 minutos, 30 destinados ao autor do trabalho e os 20 restantes ao debate com os ouvintes e o moderador.

No último dia 20 os alunos de pós-graduação Enrico Dalla Riva e Anderson de Souza Carvalho e a aluna de graduação Natasha Borali, todos da área de contabilidade, foto2apresentaram seus trabalhos para 26 ouvintes e contaram com a excelente oportunidade de debater seus temas e colher as impressões e sugestões oferecidas tanto pelo moderador Prof. Dr. Gilberto Martins como pelos presentes.

No site do Observatório USP de Educação e Pesquisa Contábil estão disponíveis algumas das apresentações realizadas. Consulte.

Venha participar da próxima reunião marcada para 30/04/2013.

Para assistir não há necessidade de inscrever-se e para apresentar um trabalho basta preencher o formulário e aguardar um contato da organização.

Maiores informações pelo e-mail: obuspec@usp.br.

Conheça nosso acervo – “O renascimento de uma potência?”

o renascimento de um...O livro “O renascimento de uma potência? A Rússia no século XXI” dá continuidade ao projeto de pesquisa sobre a Rússia como membro do BRICS realizada pelo IPEA e complementa o anteriormente publicado “Uma longa transição: vinte anos de transformações na Rússia” (noticiado por este Blog em 15/06/2011).

Convidamos a Profª Drª Lenina Pomeranz, professora da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade – FEAUSP, considerada uma das maiores estudiosas da Rússia no Brasil, autora de um dos capítulos, para falar sobre o livro. Segue a resenha que ela especialmente elaborou para os nossos leitores.

“Os artigos reunidos neste segundo livro compõem os resultados da segunda fase da pesquisa e foram organizados em forma de capítulos referindo-se as questões de natureza estratégica enfrentadas atualmente pela Rússia pós-soviética, na sua busca pela reconquista da posição de potência detida pela URSS, como partícipe e protagonista dos acontecimentos mundiais.

Assim, é bastante explícito neste sentido, o capítulo escrito por Numa Mazat e Franklin Serrano, ambos professores do Instituto de Economia da UFRJ, que trata exatamente da geopolítica da Federação Russa em relação aos Estados Unidos e a Europa, destacando aspectos  de vulnerabilidade, cooperação e conflito do país em relação ao Ocidente.

Nesta mesma linha Gabriel Pessin Adam, membro do NERINT – Núcleo de Estratégia e Relações Internacionais da Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS, e professor de Relações Internacionais da Escola Superior de Propaganda e Marketing – USPM, campus Sul, trata da parceria estratégica da Rússia, como grande potência, com a China, outro país protagonista considerável  no cenário internacional.

André Gustavo de Miranda Pineli Alves, técnico de planejamento e pesquisa do IPEA e organizador do livro, trata, por sua vez, de avaliar as relações existentes entre o crescimento econômico russo e o papel que nele desempenham as exportações de petróleo do país, sabendo-se da posição internacional  da Rússia  no mercado internacional deste bem, como produtora e exportadora. A partir de um levantamento dos dados estatísticos significativos para análise, o autor busca responder à pergunta com a qual intitula o seu trabalho: “A Rússia sofre de doença holandesa?”.

Os dois capítulos remanescentes são de autores da nossa casa, a USP, professores Angelo Segrillo, do Departamento de História  e  Lenina Pomeranz, da FEAUSP.  Ambos os artigos fogem um pouco ao foco apontado anteriomente; mas somente no sentido do seu tratamento direto, porquanto abordam questões que dizem respeito a condições de inserção do país no cenário mundial.

O professor Angelo Segrillo aborda a questão da democracia na Rússia, fundamental para entender as suas características próprias e como a vê o mundo no qual o país pretende inserir, não se podendo  deixar de assinalar as restrições que existem, na análise de analistas ocidentais, sobre a natureza e o modo de funcionamento da democracia russa.

A professora Lenina Pomeranz busca analisar as condições mediante as quais a Rússia pode implementar o seu objetivo de modernização econômica, entendida esta como um processo de ajustamento estrutural no sentido de eliminar a sua dependência do petróleo e de inovar-se  ao nível do desenvolvimento tecnológico das economias mais avançadas.

Em síntese, trata-se de uma publicação que interessa especialmente aos estudiosos das relações internacionais, mas que abrange questões econômicas e políticas de um país importante no cenário internacional e com o qual o Brasil mantém relações comerciais, políticas e culturais importantes.”

Os dois livros citados encontram-se a disposição em nossa Biblioteca, venha consultá-los!

Localização: 338.947^L848
Localização: 338.947^L848
LOCALIZAÇÃO: 338.947^r394
Localização: 338.947^R394

 

Diva Benevides Pinho – uma história de dedicação

Tela da série cidades

Professora Emérita e Titular do Departamento de Economia da FEAUSP, graduada e licenciada em ciências sociais pela FFLCH/USP e  Advogada formada pela FD/USP, doutora em economia, poliglota, artista… Todas essas habilidades refletem apenas uma fração do currículo da Professora Diva Benevides Pinho, cuja história de vida é um tratado de dedicação à cultura em geral e à Universidade de São Paulo em particular.

Herdeira intelectual da missão francesa que implantou o ensino de economia na USP a partir do curso de Ciências Socias da, então,  Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras (FFCL-USP), a Professora sempre defendeu a economia de face humana. Seus professores da Missão Francesa sempre insistiram no aspecto humanístico dos estudos econômicos. Mas, reconheciam que a Economia enfrenta ambiguidades porque visa, ao mesmo tempo, satisfazer as necessidades humanas e produzir “bens” que precisam ser medidos, pesados, contados e vendidos segundo a lógica do mercado. Conciliar o homem-ser social com a racionalidade do homo economicus é um problema complexo, porém não impossível  em se tratando de uma ciência social.

Seu longo tempo de vivência com economistas da USP possibilitou-lhe um acompanhamento de toda a evolução do ensino da economia na FEA, inclusive como Chefe do Departamento, cargo exercido por 8 anos.

Cientista por formação e artista por vocação, seus últimos livros “A arte no Brasil e no Ocidente” e “O Mercado da Arte” reúnem seus talentos para os estudos econômicos com os da arte, assunto que domina magistralmente.

Pioneira, desde sempre, elegeu como tema para sua tese de doutorado o “Cooperativismo” e sobre ele escreveu livros e lecionou em vários países.

Aposentada, mas nem por isso distante de suas atividades acadêmicas, atua como Professora Senior do Departamento de Economia da FEAUSP, criou e preside o Instituto Carlos e Diva Pinho, composto pelo FUNCADI e pela Casa da Cultura e, ainda, patrocina um dos auditórios da Biblioteca da FEA.

Em março concedeu uma breve entrevista à revista Diálogos e Debates , na qual relata um pouco de sua história. Aproveitando a ocasião, divulgamos a entrevista Por uma economia com face humana e  convidamos a Professora para um bate-papo sobre seus novos estudos e projetos, sua disposição constante em patrocinar a cultura e seu amor pela arte e pela USP. Dividiremos com nossos leitores um pouco dessa tarde inesquecível e agradável que ela, muito bem humorada, nos proporcionou.

1 ) Foi surpreendente ler que a pintura entrou em sua vida depois de todo seu desenvolvimento acadêmico, como foi esse despertar?

Eu me interessei pela arte quando comecei a me preocupar com a aposentadoria. As empresas estrangeiras, as multinacionais, preparam as pessoas para esse momento, no Brasil nós não temos essa tradição. Minha vida inteira foi de dedicação integralíssima à USP, então tinha medo de me aposentar e achava que precisava de um “hobby”. A esposa de um dos ex-diretores da FEA dirigia uma associação de obras de caridade e eu procurei me integrar a ela. Faziam trabalhos manuais, vendiam e revertiam o lucro para  caridade. Mas eu não quis fazer trabalhos de tricô e crochê, então saí da linha de produção e comecei a fazer outro tipo de artesanato: bichinhos de pedra que eu mesma pintava e eles eram colocados à venda nas feiras de caridade. Depois de um tempo comprei um pirógrafo e só não “decorei” as portas e  janelas de minha casa porque o marido não deixou. Quando cansei disso também uma professora de artesanato me disse para tentar uma tela. Pensei que não era capaz, mas ela colocou uma  tela em minha frente e ordenou-me: Tente!  Então, desenhei o símbolo internacional do Cooperativismo, que significa também nosso sobrenome –  um pinheiro alto e frondoso que protegia um outro menor. Corri para  casa e mostrei a tela para o marido, perguntando-lhe – qual deles sou eu? Você é o grande, respondeu-me gentilmente. Gostei da resposta, embora sentisse o contrário – sempre procurei seguir seu caminho intelectual. E não parei mais de pintar.

Continuar lendo

Feriado 9 de julho e a USP – São Paulo derrotado impõe-se culturalmente

Diva Benevides Pinho
Presidente da Casa da
Cultura Carlos e Diva Pinho

A história da criação da FFCL (Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras) é a  própria história da USP: ambas surgiram em 25 de janeiro de 1934, no mesmo Decreto n. 6.283, que previa também a criação de uma Faculdade de Ciências Econômicas e Administrativas (que só seria fundada em 1946).

Então, aquele Decreto de 1934 surgiu dois anos depois da derrota de São Paulo na Revolução Constitucionalista de 1932, e fora planejado para criar a FFCL como um modo dos paulistas voltarem à cena nacional pela cultura. Era, ainda, a afirmação cultural do “patriotismo paulista” e uma estratégia ideológica para  forjar uma vanguarda cultural de revalorização de São Paulo junto aos outros Estados da Federação do Brasil.

As instituições isoladas que já funcionavam há mais de um século, também foram incorporadas à USP – Faculdade de Direito de São Paulo (criada em 1827), Escola Politécnica de São Paulo (1894), Faculdade de Farmácia e Odontologia de São Paulo (1898), Faculdade de Medicina e Cirurgia de São Paulo (1912).  E também as Escolas, Faculdades e Institutos que ampliavam o ensino e a ação da Universidade – Institutos Biológico, Higiene, Butantã, Agronômico de Campinas, Astronômico e Geográfico, Museu de Arqueologia, História e Etnografia, e  outras instituições de caráter técnico e científico do Estado de São Paulo.

A USP significava, então, uma maneira de recuperação do poder e prestígio dos membros da elite paulista derrotada, alijados do centro decisório nacional, porém, pelo atalho da cultura, isto é, criação de um centro de formação da sociedade brasileira e de irradiação de ideais.

Continuar lendo

Publicação de ex-aluno da FEAUSP em co-autoria com seu Professor e orientador de pesquisa

Nº de localização no acervo: FEA070.573^ F363r

Em “Repensando o modelo de negócios do livro” o professor agradece ao aluno por ter acreditado na possibilidade de transformar uma ideia de sala de aula em dissertação de mestrado e posteriormente em publicação de livro.

Escrito pelo aluno Hélio Puglia Fernandes em co-autoria com seu orientador de mestrado Prof. Dr. Marilson Alves Gonçalves, o livro se aventura num campo quase inexplorado em outros estudos relacionados ao universo dos livros: a administração de editoras. A obra mostra a utilização inédita de uma ferramenta de análise de serviços – o blueprinting – aplicada a uma empresa editorial. Partindo da visão de que o cliente espera de uma empresa não apenas produtos, mas também serviços, o livro mostra como o blueprinting pode ajudar a detectar oportunidades para a melhoria da gestão de uma editora e como esta pode aprimorar a sua relação com o consumidor (o leitor).

Fonte: http://www.martinsfontespaulista.com.br

Treinamento para uso do site www.comdinheiro.com.br

O site www.comdinheiro.com.br foi concebido, primordialmente, para ser um centro de consulta para professores e estudantes de finanças, economia e contabilidade. Idealizado e coordenado pelo Prof. Dr. Rafael Paschoarelli Veiga, do Departamento de Administração da FEAUSP, tem por objetivo fornecer as mais avançadas ferramentas financeiras. Mais de 95% das ferramentas disponíveis são gratuitas e a partir de um registro simples o usuário passa a ter acesso a funcionalidades exclusivas que lhe permitirão realizar cálculos e simulações.

O Prof. Rafael Paschoarelli Veiga é graduado pela POLI/USP/Elétrica, especialista em Administração pela EAESP/FGV, mestrado e doutorado pela FEAUSP. Atua como professor na área de finanças do Departamento de Administração da FEAUSP e do INSPER.

O Blog bibliotecafea.com convidou o Professor para falar sobre o site. Gentilmente nosso convite foi aceito e o Professor se propôs, ainda, a oferecer um treinamento aqui na FEA. Leia nossa conversa e inscreva-se para o treinamento.

1)Como surgiu essa ideia? Qual o diferencial do site em comparação com as outras ferramentas disponíveis no mercado?
A ideia do site surgiu porque os alunos não dispunham de uma base de dados de altíssimo nível que fosse gratuita para realizarem seus estudos. As bases disponíveis no mercado são caras. O site oferece ferramentas até mais completas do que as bases pagas e quase que totalmente gratuito. A pequena parcela cobrada também pode ser negociada desde que comprovado o uso acadêmico dos dados. Para quem quer estudar contabilidade criamos uma ferramenta completa, sem restrição de acesso e com versão para iPhone. Informações como balanços de empresas, notas explicativas das demonstrações financeiras, comentários dos administradores, dados históricos das empresas, etc podem ser consultados e transportados automaticamente para o Excel.

2)Um leigo é capaz de entender e utilizar as ferramentas dispostas no site?
Não. Na verdade o leigo não vai conseguir interpretar as informações. O site é voltado, mesmo, para estudantes da área ou profissionais.

3)Hoje se fala muito de planilha de controle financeiro, de aplicações, previdências etc . Você sente que o mundo, por ter um maior acesso à informação, tende a se preocupar mais com esse assunto? Esse conhecimento garante uma velhice com dinheiro?
Não, não garante. Porque é um conhecimento superficial e esse verniz não será suficiente para garantir esse futuro. Para que isso aconteça será necessário aprofundar o conhecimento, caso contrário não haverá espírito crítico para a tomada certa de decisão. A falsa impressão do conhecimento atrapalha. Se a pretensão é conhecer uma coisa tem de estudar sobre ela para não ser facilmente iludido.

O treinamento para utilização do site www.comdinheiro.com.br será realizado no dia 09/12/11, às 9 horas, na sala 307, 3º andar do prédio FEA5. Para a inscrição basta encaminhar o nome, número USP e e-mail para os endereços: bibfeainformativo@usp.br e bibfea.atend@usp.br.